Aranhas

As aranhas pertencem ao grupo dos artrópodes, habitam praticamente todas as regiões da Terra e são encontradas nos diferentes ecossistemas, inclusive no aquático.
Estes animais podem viver em;

- teias geométricas ou irregulares,

- em buracos no solo,
- fendas de barrancos,

- árvores,

- sob troncos podres,
- cupinzeiros e bromélias,

- além de áreas ocupadas pelo homem.
São animais carnívoros. Alimentam-se principalmente de insetos, mas também de presas maiores como pequenas lagartixas, rãs, peixes, roedores e filhotes de pássaros.
Os predadores são pássaros, lagartos, sapos, rãs, escorpiões e parasitas diversos, além do próprio homem. A maioria das espécies de aranhas tem vida solitária, mas algumas têm hábitos sociais.

Há espécies que vivem poucos meses, enquanto outras,
principalmente caranguejeiras, podem viver até 25 anos, de acordo com observações realizadas em cativeiro.

Todas as aranhas têm veneno e podem causar acidentes. Porém nem todas são responsáveis por acidentes humanos graves, por causa da baixa toxicidade do veneno para seres
humanos, da pequena quantidade de veneno injetada e das quelíceras incapazes de perfurar a pele.

Gêneros Importantes no Brasil:

No Brasil , apenas três gêneros, com cerca de 20 espécies , podem causar envenenamentos graves em humanos:
- Latrodectus -viúva negra,

- Loxoceles - aranha marrom

- Phoneutria - armadeira.

Latrodectus - Viúva negra
Nestas aranhas, as fêmeas atingem o comprimento de até 2 cm, enquanto os machos têm de 2 a 3 mm.

As fêmeas são as únicas responsáveis pelos acidentes humanos.

Possuem oito olhos que estão dispostos em duas fileiras.

Vivem em meio à vegetação arbustiva, gramíneas, buracos de erosão em gramados, canaletas de água de chuva, latas vazias e pneus velhos.

Viúva Negra

Não são agressivas e os acidentes só ocorrem quando são espremidas contra o corpo da vítima.

Os acidentes podem ser tratados sintomaticamente através de analgésicos e sedativos, ou com a utilização de sorotereapia específica (soro anti-latrodectus), de acordo com a gravidade do caso.

Loxoceles - Aranha marrom
São aranhas pequenas, com o corpo de aproximadamente 1 cm e, incluindo as pernas, até 3 cm de comprimento. Apresentam 6 olhos dispostos aos pares. Ocupam
grande diversidade de hábitats, como raízes e cascas de árvores, folhas secas de palmeiras, bambuzais e cavernas; atrás de móveis, sótãos, garagens, porões de casas,
entulhos e madeiras. Possuem hábitos noturnos, vivem em teias irregulares, não são agressivas e picam somente quando espremidas contra o corpo. Os acidentes têm sido
tratados com soro antiaracnídico ou antiloxocélico, mas também podem ser empregados corticosteróides no tratamento.

Aranha Marrom Macho

Aranha Marrom Fêmea

Fonte: Cartilha FUNED

Phoneutria - Aranha armadeira
O corpo destas aranhas pode atingir até 3 cm, e incluindo as pernas, até 15 cm.
Apresentam oito olhos dispostos em três fileiras. Possuem hábitos noturnos e não
vivem em teias. Durante o dia, permanecem escondidas sob troncos, em bananeiras,
palmeiras e bromélias. Nos domicílios, podem ser encontradas em locais úmidos e
escuros, como dentro de sapatos, atrás de móveis, cortinas etc. Caçam e imobilizam
suas presas pela ação do veneno. São agressivas e se “armam” para o ataque, apoiandose
nos dois pares de pernas traseiras, podendo saltar uma distância de até 40 cm. Os
acidentes podem ser tratados sintomaticamente, através de bloqueios locais
anestésicos, ou com a utilização de sorotereapia específica (soro antiaracnídico), de
acordo com a gravidade do caso.

Aranha Armadeira

Licença Ambiental nº 190071 Licença Sanitária nº 121/2019

Central de Atendimento
43.3472.9275
43.99868.5069